Prefeitura de Fabriciano e CODEMA entregam R$ 10 mil em equipamentos aos Bombeiros para combate a incêndios

 22/09/2021 17:57

COMPARTILHAR

Prefeitura de Fabriciano e CODEMA entregam R$ 10 mil em equipamentos aos Bombeiros para combate a incêndios
Prefeitura de Fabriciano e CODEMA entregam R$ 10 mil em equipamentos aos Bombeiros para combate a incêndios

A Prefeitura de Coronel Fabriciano e o Conselho Municipal de Meio Ambiente (CODEMA) entregaram nesta quarta-feira, 22, cerca de R$ 10 mil em equipamentos para prevenção e combate a incêndios na cidade. A doação foi feita ao 5º Pelotão de Bombeiros Militar de Minas Gerais (CBMMG). O investimento foi garantido pelo CODEMA a título de compensação ambiental.

 

A lista inclui abafadores, ferramentas diversas e Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) como perneiras, luvas, óculos de proteção dentre outros. Os materiais são essenciais para trabalhos de prevenção e controle de incêndios florestais. E chegam a excelente hora, uma vez que o município e região têm sofrido com o aumento de queimadas em virtude da baixa umidade e vegetação seca e, principalmente, por descuido e/ou irresponsabilidade de algumas pessoas.

 

Os itens foram entregues ao Tenente Wildemarque, Comandante do 5º Pelotão de Bombeiros. “Estes itens vão reforçar o nosso serviço operacional, inclusive, para os demais anos”, agradeceu o Comandante. Na oportunidade ele explicou que todas as ocorrências são registradas, mas na maioria das vezes o causador do incêndio foge do local, não sendo identificado e localizado.

 

A iniciativa integra a programação da Semana da Árvore em Coronel Fabriciano, que tem como objetivos conscientizar a comunidade na preservação do meio ambiente e envolvê-la em ações para ampliar áreas verdes na cidade. A solenidade aconteceu na sede do 5º Pelotão Bombeiros, no bairro Caladinho. Estavam presentes o vice-prefeito, Sadi Lucca – na ocasião representado o prefeito Dr. Marcos Vinicius – gerente de Meio Ambiente; Ivan César Oliveira; Hélio Dornelas, representando o CODEMA e o vereador Beto Cavaleiro.


“Por isso, pedimos a população para apoiar a causa do meio ambiente e não provocar incêndios que tanto ocupam o trabalho do Corpo de Bombeiros, impedindo de fazer outros atendimentos de urgência e emergência também necessários à comunidade”, sensibiliza o Tenente Wildemarque. No momento da entrega, praticamente todo o efetivo do Pelotão estava em campo atendendo registros de focos de incêndio.

 

O QUE FAZER EM CASO DE INCÊNDIO?

Em caso de incêndios, a orientação é ligar primeiro para o Corpo de Bombeiros 193. O órgão conta com equipe preparada para atuar no controle das queimadas. A Polícia Militar Ambiental também pode ser acionada pelo 190. O gerente de Meio Ambiente, Ivan César Oliveira, explica que já à Prefeitura, cabe o apoio por meio de brigadas, quando necessário e solicitado; apoio na equipagem e infraestrutura; apuração de denúncias e autuar o infrator.

 

“O Meio Ambiente da Prefeitura recebe muitas denúncias, mas elas chegam sem informações completas, o que dificulta encontrar o autor. Por isso, é importante que a população, se possível, informe o suspeito, suas características, anote a placa do carro próximo ao local onde começou o incêndio. A informação é sigilosa e assim, poderemos identificar e punir os infratores”, sensibiliza. As denúncias podem ser feitas pelo telefone 3406-7595.

 

De acordo com a Lei 9.605/98, provocar incêndio em mata ou floresta é tipificado como crime ambiental, que pode resultar em pena de reclusão dois a quatro anos, além de multa.

 

MAIS FOCOS DE INCÊNDIO

Até o dia 15 de setembro, o 5º Pelotão de Bombeiros da PMMG havia registrado 70 ocorrências de incêndios florestais e relativos (lotes vagos, áreas descampadas, encostas, beira de estradas e outros). O número é quase o dobro das chamadas recebidas ao longo de 2020, de 36 registros. Em 2019, considerado um dos anos mais críticos pelo Corpo de Bombeiros, foram 90 ocorrências de janeiro a dezembro.

 

Além das condições climáticas de 2021 serem similares a 2019, estiagem prolongada e vegetação seca, os incêndios têm consumido áreas maiores e ocorrido em locais de preservação ambiental. Um dos exemplos mais recentes foi mata do Morro da Usipa, que consumiu uma área de 252 hectares entre Ipatinga e Fabriciano, causando um prejuízo para fauna, flora e ecossistema do Vale do Aço. O incêndio foi provocado por um catador de recicláveis: ele colocou fogo em fio de cobre e as chamas se alastraram pela vegetação seca.

 

A orientação dos órgãos é que nessa época do ano não se deve usar fogo para queimar lixo, limpar área, etc. Também é pedido apoio à população para não usar fogos de artifício perto de matas ou áreas rurais, além de guimbas de cigarros acesos por janelas de veículos no chão de áreas rurais ou às margens de rodovias.